Intervenção 2017-06-08T13:31:04+00:00

Temos procurado encontrar a melhor forma de contribuir para a proteção de sítios emblemáticos pelo seu valor natural e pelo exemplo que dão do que pode ser a coexistência equilibrada e vantajosa entre o homem e a natureza. Estes são exemplos principais da nossa intervenção.

Ria de Alvor

Este amplo e complexo sistema estuarino constitui a mais importante zona húmida do barlavento algarvio e a terceira mais importante do Algarve. Situa-se na fronteira entre os concelhos de Lagos e Portimão e os seus 1454 hectares compreendem uma laguna costeira (estuário), sapais, dunas, salinas e as penínsulas da Quinta da Rocha e da Abicada com habitats mistos de vegetação ripícola, pequenas áreas de pinhal e semi-agrícolas.
Ria de Alvor from the air showing that the headland is one of the few undeveloped parts of the Algarve by John Cheverton small
O valor e a proteção da Ria de Alvor.

Desde 1983 que A ROCHA identificou esta zona húmida como de proteção prioritária. Nessa altura não havia qualquer reconhecimento formal do valor natural existente, nem do papel que esta zona húmida representa para as muitas espécies que a ocupam ou fazem dela uso nas suas rotas migratórias.
Em 1996 o governo português reconheceu a importância ecológica da Ria da Alvor e classificou-a como sítio Ramsar – ao abrigo da Convenção sobre Zonas Húmidas de Importância Internacional – especialmente como habitat de aves aquáticas. Em 2006, a União Europeia declarou a Ria de Alvor como sítio da Rede Natura 2000 pela sua variedade de habitats e espécies protegidas.
A Ria de Alvor assume igualmente uma importância inestimável na valorização de todas as áreas adjacentes que beneficiam do prestígio deste ecossistema, quer a nível paisagístico, cultural ou como estímulo económico. Trata-se de um ecossistema rico, onde o mar e a terra vivem num equilíbrio único e delicado. As dunas da Ria de Alvor demonstram como estruturas aparentemente frágeis podem ser uma barreira eficaz contra as forças erosivas do mar e do vento. O cordão dunar com as suas teimosas espécies vegetais torna possível a existência do sapal e da própria Ria, da qual dependem uma grande diversidade de espécies animais e vegetais, bem como as comunidades de pescadores e de mariscadores locais.
A Ria de Alvor é um ínfimo paraíso cada vez mais estrangulado pela pressão imobiliária e turística mas impõe-se de forma determinante na paisagem pela grande variedade de habitats e surpreendente biodiversidade. A ROCHA tem procurado defender os valores deste local e propor um uso sustentável dos vários recursos existentes que animam a economia regional e uma melhor divulgação dos valores naturais.

Lagoa dos Salgados

A Lagoa dos Salgados está integrada numa área de valor natural elevado que integra o estuário da ribeira de Alcantarilha, o cordão dunar da Praia Grande e terrenos vizinhos integrados na Reserva Agrícola Nacional. Situa-se na costa algarvia na fronteira entre os concelhos de Silves e Albufeira, sobre os antigos sapais de Pera.

O valor e a proteção da Lagoa dos Salgados

A Lagoa dos Salgados tem-se tornado um dos lugares mais visitados para quem gosta de fazer observação de aves. As condições e habitats variados existentes permitem encontrar aqui uma variedade considerável de espécies. Foi por isso reconhecida como uma Área Importante para as Aves (IBA) pela BirdLife Internacional.
A ROCHA associou-se à Plataforma dos Amigos da Lagoa dos Salgados e tem procurado em conjunto com outras Organizações Não-Governamentais para o Ambiente (ONGA) formas de defender este local e as espécies e habitats que aqui se encontram, sempre sobre a ameaça do desenvolvimento imobiliário. É possível encontrar alternativas para o desenvolvimento regional. Queremos colaborar nesse caminho.