Estudo de Microplásticos

Por Katya Egorova 

 

 

Os microplásticos são um dos poluentes menos controlados nos nossos oceanos. Os microplásticos podem variar entre 1 e 5 mm de dimensão, tornando-os difíceis de remover. Já é impossível retirá-los completamente dos oceanos, mas ainda é possível conter a sua propagação contínua.

 

 

O nosso trabalho é feito através da colheita de amostras de areia das praias de Lagos, Alvor, Portimão e Ferragudo. Para termos uma imagem mais detalhada, são colhidas amostras de areia em vários locais de cada uma dessas praias ao longo do ano. São um total de  21 transetos, cada um com 100 metros de comprimento, com cinco pontos, em cada transeto, selecionados aleatoriamente para a colheita das amostras.

 

 

Para iniciar o trabalho, a hora certa do dia é escolhida quando a maré atinge seu ponto mais alto e uma hora depois o trabalho pode ser feito nesse local. A amostragem é realizada da seguinte forma: a areia é recolhida, num quadrado de 0,5 metros e cinco centímetros de profundidade. Esta areia é peneirada através de uma peneira dupla, usando água do mar filtrada como um fluido facilitador, que peneira partículas do tamanho microplástico que procuramos (1-5 mm).

 

 

As amostras recolhidas são então preparadas para análise: o conteúdo é colocado num recipiente com água, com salinidade muito superior à água do mar, e o microplástico contido na areia flutua até à superfície, permitindo determinar o tipo de plástico e outras propriedades. A recolha de dados leva em conta não apenas os microplásticos encontrados, mas também as características do terreno, estação, clima e outras condições em que a amostra foi colhida.

 

 

O objetivo do nosso projeto é recolher dados sobre os microplásticos presentes em algumas das praias do sul de Portugal, que podem então ser usados numa recolha global de dados. A nossa recolha de dados ajudará a alertar a população sobre a poluição por microplásticos, a informar os responsáveis pela gestão de habitats costeiros e, desta forma, a contribuir para a mudança de comportamentos que manterão os microplásticos fora do ambiente marinho. A nossa metodologia de investigação baseia-se nas recomendações dadas na Guidance on Monitoring of Marine Litter in European Seas, produzida em 2013 pelo Subgrupo Técnico em Lixo Marinho da Diretiva-Quadro de Estratégia Marinha da Comissão Europeia (MSFD).

 

Número do projeto:  2018-1-PT02-ESC11-005590 do Corpo Europeu De Solidariedade

2020-10-22T15:31:56+01:00