Educação Ambiental 2016-17

“A poesia da Terra nunca está morta”, John Keats

John Keats é retratado como o último dos poetas românticos da Inglaterra e talvez por isso tenha conseguido perceber que a Terra, ou se quisermos o meio ambiente e tudo o que nele se move, vivo ou inerte, é resiliente e nunca morre. É nesta resiliência, que também encontramos em nós, que muitas vezes reside a esperança daqueles que amam o mundo natural e esperam que apesar das todas as mudanças, naturais e de origem humana, a Terra seja uma sobrevivente. Para que isso possa acontecer o papel do Homem é fundamental e, por isso, a aposta na educação ambiental continua a ser para A Rocha uma das suas mais importantes missões.

 

O ano letivo começou com a participação da Associação A Rocha num seminário sobre amamentação com o título “Amamentação – prática sustentável” organizada pela SOS Amamentação e Clínica Amamentos. A amamentação tem inúmeros benefícios, um dos quais ambientais que muitas vezes é esquecido ou ignorado. Amamentar com leite materno significa fazer uma escolha que ajuda a diminuir a produção, a reduzir a poluição, o desperdício e o gasto de energia.

O museu de Portimão em colaboração com o município levou a cabo a 4º edição do “Mexilhoeira Grande – A nossa cultura sai à rua”, marcando as jornadas europeias do Património. A Rocha esteve presente com uma banca onde pôde dar a conhecer algumas das riquezas naturais da Ria de Alvor num evento que divulgou as artes, a cultura, a história, os saberes e os sabores das gentes da Mexilhoeira.

Em novembro, com a ajuda da Rosário Pereira, fizemos uma monitorização da qualidade da água do estuário da Ria de Alvor, identificando e contando nas amostras, os macroinvertebrados aquáticos vivos e percebendo quais destes eram sensíveis ou tolerantes à poluição. As amostras foram, no geral, satisfatórias indicando que o estado de qualidade da água é bom.

Este ano letivo tivemos mais uma vez a oportunidade de, em parceria com o Centro de Formação Rui Grácio, levar a cabo uma formação de 15 horas para professores de todos os níveis de ensino e grupos disciplinares. Sob o tema “As aves na Ria de Alvor” esta formação teve a presença de professores do pré-escolar, 1º.,2º., 3º. ciclos e secundário que lecionam disciplinas tão diversas como Educação Tecnológica/Visual, Matemática, Português e Ciências. Foi impressionante ver como os professores conseguiram apropriar-se do tema e inclui-lo nos seus programas curriculares, proporcionando aos seus alunos informação suficiente para a produção de desenhos, jogos, modelos matemáticos, pesquisas e exposições que partilharam com todos os outros colegas da escola. As aves são e podem ser mais uma das razões que nos fazem sair de casa e apreciar a natureza. Este facto é particularmente importante quando nos damos conta de que nos dias de hoje, tanto jovens como adultos cada vez mais se refugiam “intra-muros” e se ocupam com atividades mais sedentárias. Desta formação foi ainda possível realizar um seminário com o mesmo tema onde foi possível a partilha dos trabalhos dos professores/formandos.

Visitaram-nos 10 escolas diferentes com um total de 27 turmas do 1º ciclo, 2º ciclo, secundário e universitário, com 582 alunos e 61 professores.

A Rocha foi convidada a apresentar no Dia Mundial das Zonas Húmidas uma palestra subordinada ao tema- Zonas Húmidas- para oito turmas do 8º ano do Agrupamento Poeta António Aleixo em Portimão. Visitámos também o Agrupamento de Escolas de Vila do Bispo para apresentar “As aves na Ria de Alvor” para duas turmas do 6º e duas do 8º ano. Visitamos ainda a Escola do 1º Ciclo da Praia da Luz para falar sobre o maravilhoso mundo dos insetos a alunos do 1º e 3º ano.

Todas estas iniciativas dão sentido ao nosso trabalho. Ver os sorrisos de quem nos visita, apercebermo-nos dos olhares curiosos de quem vê o que nós vemos, sentir o coração a pulsar como nós sentimos cada vez que recuperamos uma espécie ou cuidamos de um ser vivo, ouvir os sons da natureza porque há espaço, tempo e envolvência para tal são os ingredientes que necessitamos para continuarmos a nossa missão. De nós para todos e com todos, A Rocha regozija-se com mais um ano de trabalho e descobertas.

2017-09-07T13:37:34+01:00